Arthur André de Barros Rodrigues

Arthur André de Barros Rodrigues

Undergrad Student;

Universidade Federal de Pernambuco

Pesquisa Atual

Atualmente, estou finalizando o curso de graduação e desenvolvi meu Trabalho de Conclusão de Curso objetivando entender como os padrões de dispersão são afetados pela fragmentação e reprodução supra anual das sementes em uma área de floresta tropical semidecídua no estado de Quintana Roo, México. Utilizando de dados coletados por Melo et al., 2010 analisei a diversidade efetiva da região e construir GLM’s para indicar a relação entre as variáveis independentes (área do fragmento e ano) e dependentes (Diversidade de Hills em seus três expoentes). Os resultados encontrados demonstram que somentes as sementes dispersadas sofreram influência da fragmentação e reprodução supra anual de sementes, e que essa influência foi positiva para síndromes de dispersão abiótica nos fragmentos Médio e Pequeno(<30 Ha e <3 Ha) bem como para na síndrome zoocórica nos fragmentos de tamanho Médio (veja Figura 1 abaixo). Nossos resultados em conjunto com o descobertos anteriomente para essa área, demonstram e exemplificam bem a atual discussão sobre os efeitos da fragmentação (veja Fletcher et al., 2019 e Fahrig et al., 2019 para entender melhor), onde para a mesma região e conjuto de dados, podemos ver um efeito negativo da fragmentação principalmente no tamanho das sementes dispersadas, com maiores sementes apresentando um efeito negativo perante o tamanho dos fragmentos, ao mesmo tempo que nossos resultados ressaltam um efeito positivo na diversidade em geral das sementes dispersadas. Indincando que os efeitos da fragmentação são sim complexos e necessitam de amplo cuidado a serem generalizados (veja Rybicki et al., 2020 para ter outros exemplos disso)

Projeto de Mestrado

Com a orientação de Felipe Melo e Lucas Alencar, estou construindo meu pré projeto de mestrado para ser submetido a programa de pós graduação em Etnobiologia e Conservação da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE. O foco do projeto é a construção do Índice de Segurança Florestal (ISF) para a Caatinga como primeiro capítulo e, posteriormente, sua aplicação na identificação de correlações espaciais entre a segurança florestal e fatores socioeconômicos, principalmente, a pobreza para a região. Diante disso, estamos buscando entender como esse índice deve ser construído. Até o momento, identificamos que as variáveis principais estão dentro de três eixos: Floresta, Acesso e Benefícios, as quais medem respectivamente, a existência e quantidade da floresta na região, o acesso do povo aos benefícios da floresta e a continuidade do status de segurança ou insegurança a partir do quantitativo de benefícios que se é retirado do local (veja figura 2 para melhor compreensão). Com elas em mãos, será construído o ISF a partir da análise de componentes principais e identificaremos as correlações espaciais a partir do método de agrupamentos de clusters. Esperamos que com o resultado, possamos reafirmar a necessidade de olhar para a Caatinga não somente objetivando identificar distúrbios crônicos mas também identificando onde a população, altamente dependente dos recursos florestais para sobreviver, está mais vulnerável a condições subumanas.

Figuras selecionadas

Fig 1 Pode-se ver a relação de cada expoente de Hills com a origem (Local ou Dispersada), síndrome de dispersão (Abiótica ou Zoocórica), fragmentação (Tamanho dos fragmentos) e superprodução de sementes (Ano), com o fragmento médio e pequeno influenciando positivamente a diversidade de sementes dispersas.

Fig 2 Imagem ilustrativa das principais variáveis e interações entre a disponibilidade de recursos florestais (exemplificado na imagem pela floresta ao centro), o acesso da população aquele recurso, obtendo com isso um benefício (as setas) e a população que recebe o benefício e é responsável ativamente por alterações na quantidade de benefícios retiradas (as pessoas).

Interesses
  • Sistemas socio-ecológicos
  • R markdown and Xaringan
  • Ecologia Espacial
Formação
  • Ciências Biológicas, 2017 – Atualmente

    Universidade Federal de Pernambuco